1º Treinamento em MOE no Ringsfield Hall

De 04 a 06 de novembro de 2011 tive o prazer de participar do treinamento realizado pelo Time Nacional do MOE (Mantle of the Expert), metodologia na qual venho me aperfeiçoando para poder disseminá-la no Brasil. Quanta coisa boa. Simplesmente pude estar em meio a diretores e professores de escolas de diferentes partes da Inglaterra (Birmingham, Essex, Manchester e outros lugares). Muitos deles tinham dúvidas ainda básicas sobre como aplicar o MoE na sala de aula, como iniciar uma sessão, como saber se houve ou não sucesso, e outras questões do gênero. Eu já tinha a maioria das respostas bem claras na minha cabeça pelo fato de estar acompanhando desde o início do ano Luke Abbott (componente principal do Time Nacional) em diferentes escolas em ação com diferentes idades. Além disso pude conversar com a criadora da metodologia, Dorothy Heathcote (In Memorian) 3 meses antes de sua partida. Tais dúvidas foram meu foco anteriormente, e tentando esclarecê-las, escrevi minha dissertação de mestrado, já pensando em como o MoE poderia ser aplicado no Brasil.

 
Ainda assim, o treinamento foi bastante importante para me ajudar a fixar o quanto MoE é flexível e adaptável. De fato, cada professor termina por desenvolver sua própria forma de utilizar a metodologia. Eu queria muito conseguir explicar aqui como é que o MOE funciona, mas é realmente muito difícil colocar no “papel”. Ainda assim, seguem aqui alguns importantes passos:
 
Sistematização de uma Sessão de MOE
1- Planejamento
            -Seleção do tema curricular a ser trabalhado
           – O Princípio do Dendrito (conexões livres com um tema pertencente ao currículo)
           – A criação de um empreendimento fictício no qual os alunos “trabalharão” como especialistas
           – A criação de um cenário ou situação na qual a ação será aplicada
          – A criação de um cliente também fictício que irá propor tarefas no decorrer da sessão de MOE. Tais tarefas podem ser pré-planejadas pelo professor, mas devem ser passíveis de modificações.
2- Ação
            -Proposição do empreendimento: é neste momento que o professor deve saber qual a linguagem adequada a ser utilizada, como propor o empreendimento de maneira a fazer os alunos se interessarem e, consequentemente se engajarem, como manter o conteúdo curricular em desenvolvimento e, acima de tudo, o professor deve estar atento a novas possibilidades que surgirão para se introduzir outras temáticas relevantes ao currículo.
3- Avaliação
            -Para se avaliar uma sessão de MOE, o professor deve, além de procurar saber a opinião dos alunos, estar atento às mudanças que se darão gradualmente no aprendizado de seus alunos.
 
Para uma compreensão mais aprofundada de como tal metodologia é necessário treinamento teórico e prático. Porém, a obra de Heathcote não foi ainda traduzida para o português.

Quem sabe em breve não aparece alguma editora disposta a traduzir a obra dela! Por enquanto, o que posso tentar fazer é traduzir parte do material que eu tenho dos workshops e treinamentos. Pelo menos dessa forma poderei fazer vocês, leitores, se interessarem pelo MoE e talvez se apaixonarem por ele como aconteceu comigo!

Escrito em 10/11/11, revisado em 14/08/17

 
2017-08-22T14:55:28+00:00

Sobre o Autor:

Sou Mestre em Teatro Aplicado na Educação, Comunidades e Sociedade pela Goldsmiths, University of London, pós-graduada em Arte-educação, Pedagoga, Publicitária, Educadora, Professora de Teatro, Diretora e Atriz. Meu maior desafio até hoje foi o de descobrir como unir todas minhas habilidades e paixões. O mestrado foi um pontapé importante, mas minha curiosidade foi o gatilho para que eu encontrasse aquilo que procurava. Não dizem por aí que "Quem procura acha"? Meu grande "achado" foi o MoE, uma metodologia de ensino que une minhas paixões: educação, dramatização e criatividade. Será este o espaço que utilizarei para compartilhar com você o que sei, e espero causar em sua cabeça um turbilhão de dúvidas para que a sua curiosidade o leve (quem sabe?) a encontrar também no MoE, seu novo caminho.

4 Comentários

  1. Patricia V. 11 de novembro de 2011 em 10:20- Responder

    Que máximo! Você tem muito o que contribuir para a educação no Brasil, Rô. Tenho certeza de que vai poder passar muito dessa paixão pela educação com arte e criatividade para muitos e muitos educadores. E o Brasil merece. Continue escrevendo. Beijo grande.

  2. Roberta Luchini 11 de novembro de 2011 em 14:11- Responder

    Obrigada pelo incentivo Paty. Espero que suas palavras se tornem realidade num futuro próximo! bj

  3. Luke Abbott 14 de maio de 2012 em 01:25- Responder

    I wish I spoke Portuguese Roberta. This seems such a lovely site and has your deep commitment to the work. Passion is such a Brazilian gift and this come through in the words and feelings I can pick up through your work. Just think-you and I in the classrooms of the UK and now you in classrooms in Brazil.
    One day maybe we can work together again but this time in your amazing country.
    Luke

  4. Roberta Luchini 5 de junho de 2012 em 21:17- Responder

    Dear Luke, I'm so happy to receive your comment here! Thank you for the sweet words! It will be lovely having you here. Let's keep working hard to make it possible soon! Lots of love.

Deixar Um Comentário